domingo, 1 de março de 2009

O choro de uma mãe...

Ontem fui com minha esposa Francine e meus dois filhos no Sesc - Campinas num evento que visava estimular as diversas inteligências das crianças. Lá meus filhos brincaram no Giromaster, um simulador de gravidade zero; skate, videogame interativo e outras atividades estimuladoras. Lá encontramos uma mãe de um menino que fazia seu oitavo aniversário ontem. Começamos a conversar e ela contou a história de seu filho que aprendeu a ler sozinho aos 2 anos de idade e aos 4 anos teve uma crise em que ficou deprimido e agressivo porque queria aprender mais. nesse momento ela desaba em um choro de uma pessoa que precisou ser uma verdadeira leoa para salvar seu filho de um sistema educacional inapto para os superdotados intelectualmente. Ela conta que ela sofreu descriminação de outros pais e de diretores de escola que não entendiam que seu filho precisava de uma atenção especial. Só conseguiu vaga em uma escola particular de sua cidade que ela e seu marido que é vigia na Unicamp pagam a duras penas. Conta que seu filho hoje estuda na quarta série com crianças de dez anos e tem muita facilidade com o conteúdo escolar. Conta que mora em um bairro de periferia, onde o tráfico de drogas está muito presente e que meninos já ligados ao tráfico tem ciúmes e perseguem seu filho. Quando ela descobriu que minha esposa é psicóloga especializada em educação e mãe de crianças que apresentam habilidades acima da média, a mãe do menino superdotado se abriu ainda mais e as duas ficaram conversando sobre o quão difícil é ser mãe de crianças com inteligência e habilidades acima da média em nosso país. Parece que só estamos preparados para aproveitar a inteligência futebolística de nossos meninos que são exportados para todo o mundo e. Todas as outras habilidades são diluídas em uma educação que despreza o principal capital que transforma um país, o intelectual. Será que um dia acordaremos e não conderemos mais nossas crianças superdotadas ao sofrimento e ao preconceito?

3 comentários:

marcela disse...

Professor, que texto lindo, adorei a sua frase a inteligência futebolística.
A inteligencia no Brasil não é valoriazada, por esse motivo que a "FUGA DE CEREBROS" para paises que os valorizem de verdade esta cada vez maior!

Até mais
Marcela
5 semestre de T.O. Unianchieta

Taty disse...

Olá Otávio,realmente esta história me fez lembrar a minha...
'Fui uma criança com muitas dificuldades de aprendizagem,tive um histórico de pai alcoólatra que brigava muito em casa,montei uma válvula de escape que foi a de não ouvir mais nada e isso afetou meus estudos.
Fora isso,era uma criança cheia de privilégios por possuir o dom de saber como e o momento certo de ajudar as pessoas.As palavras saiam e o carinho chegava na hora certa.Com 8 há 10 aninhos já conversava com adultos e ajudava-os no que precisassem em sua vida.Sentia o cheiro real(fenômeno não explicável)de cada pessoa e com isso me proporcionava mais sensibilidade de lhe dar com elas.
Com o passar do tempo,amadurecendo muito e rapidamente comecei a investir em mim,nos meus estudos e aprendizagem.Amo psicologia e pretendo futuramente trabalhar apenas com a ÁREA MENTAL das pessoas.

Faço a Faculdade de T.O.

Hoje o MÉTODO DE SELF HEALING, me proporciona mais sensibilidade de me conhecer,afinal chegou a hora né?Via muito os outros,
ajudava e conhecia-os muito bem, hoje chegou a minha vez.Com este curso passei a conhecer meu corpo, minhas limitações e com isso ajudará mais ainda a cuidar do próximo.Treino mais minha visão, meu tato,minha percepção e continuo com o dom do olfato.

Com o MÉTODO DO Pathwork (www.pathworksp.org.br)busco o auto-conhecimento em minhas sensações,medos,dores,
tristezas que ficaram do passado e cuido para que não mais me atrapalhe.

Faço minhas terapias regularmente para poder estar bem psicológicamente e poder futuramente atender bem meus pacientes.

Estou casada com um ser iluminadíssimo e abençoado também, onde me proporciona aprendizado, vida e amor incondicional.

Fico feliz pelas minhas limitações passadas pois sem elas não seria quem sou hoje.'

Para essas crianças maravilhosas, muitas conquistas,muitos sonhos a serem realizados e muita compreensão para com os outros,pois as pessoas cheias de crenças não conseguem ver além de seus olhos.

E obrigada pela oportunidade de estar aqui no seu bLog.

Abraços a todos

Taty

José Otávio Pompeu e Silva disse...

Emocionantes estes comentários...